segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Castração de Fêmeas e Tumor de Glândula Mamária qual a Correlação?

Nossa principal intenção neste artigo, é avisar da importância da castração das cadelas antes do primeiro cio, para evitar o tumor de glândula mamária.
A principal doença reprodutiva das cadelas, e o tumor mais comum de fêmeas  intactas, é o tumor de mama. Ele é o segundo tumor mais freqüente em cadelas e o terceiro mais comum em gatas, constituindo-se num achado clínico bastante freqüente em nossa rotina médica.
Hoje, sabe-se, por uma série de pesquisas e trabalhos científicos realizados nos EUA, que a castração feita antes da puberdade em fêmeas, ou seja, antes do primeiro cio, diminui em até 99,5% a chance de o animal vir a apresentar um tumor de mama, posteriormente.  Esse benefício vai diminuindo ao longo da vida reprodutiva da fêmea, quantitativamente falando-se, sendo quase inexistente no caso da castração ser efetuada após o terceiro cio da fêmea. O ideal é castrar antes do primeiro cio.
Além disso, a castração precoce previne a ocorrência de praticamente todos os outros tumores relacionados ao sistema reprodutor, tanto em fêmeas quanto em machos,  assim como outras doenças, tais como a Hiperplasia Endometrial Cística e a Piometra, doenças típicas de cadelas que receberam, em determinados momentos de sua vida,  aplicações de hormônios anticoncepcionais para evitar o cio.
Outra vantagem da castração é de, indiretamente, estar fazendo um controle da população, pois grande parte dos proprietários não tem ainda consciência do problema eminente ao se deixar seus animais se reproduzirem sem critério.








Temos que retirar os tumores com uma boa margem de segurança. A excisão cirúrgica geralmente é extensa, conseguentemente  as sutura acompanham o corte cirúrgico.


Postar um comentário