terça-feira, 22 de maio de 2012

O Cão e o Gato Infartam?

A ocorrência natural de infarto agudo do miocárdio (IAM) é rara nos cães e nos gatos. Isto se feve a vários fatores pré-disponentes do infarto no homem não ocorrerem, em sua grande maioria, nos animais. Poderíamos citar vários exemplos como o fumo, stress, sedentarismo etc....
Na realidade qualquer animal que apresente um coração pode infartar. Além dos fatos citados acima, podemos dizer que a capacidade de metabolizar triglicerídeos, colesterol e lipídeos é mais eficiente nos animais carnívoros (adaptados para o consumo exclusivo de proteína de origem animal), sendo assim o depósito de gordura nos vaos coronários é menor. Lembrando que os cães e gatos são carnívoros, do ponto de vista da sistemática zoológica.
O infarto mais comum nos cães é o infarto intramural microscópio (MIMI) e está associado a septcemias, aterosclerose coronariana, embolias a partir de focos de endocardite bacteriana, neoplasia e senilidade. O MIMI não apresenta sinais clínicos exuberantes, em virtude deste fato é difícil o diagnóstico.
Em algumas situações a aterosclerose  ( é uma doença inflamatória crônica, onde se formam placas de lipídeos e tecido fibroso, dentro dos vasos) pode ocorrer. Nos cães o hipotiroidismo e a obesidade são fatores de risco, para a aterosclerose coronariana. Mesmo assim a circulação colateral, permita que o animal permaneça sem sintomas.
Em animais mais velhos podemos encontrar sinais sugestivos de hipóxia do miocárdio, no eletrocardiograma realizdo de rotina. O tecido morto será substituido por um tecido de cicatrização que não terá a mesmas características do miocárdio sadio.
Outra possibilidade de MIMI é a  embolia por focos bacterianos, onde TÁRTARO é uma das principais causas.
Os cães podem até infartar, porém é difícil morrer por conta disso.
Devemos lembrar a importância de realizar um eletrocardiograma para qualquer procedimento anestésico, manter os animais com o peso ideal, realizar tratamento periodontal.


                                                               ATEROSCLEROSE



                                              EMBOLIA POR FOCO BACTERIANO

Postar um comentário