quarta-feira, 13 de junho de 2012

Caso Clínico: Dematofitose em Gatos.

A Dermatofitose em felinos, são infecções causadas principalmente por dois gêneros de fungo, o  Microsporum sp. e Trichophyton sp. O Microsporum canis (encontrado na pele e pêlo de gatos e cães), seguido pelo M. gypseum (habita os solos ricos em matéria orgânica) e Trichophyton mentagrophytes (encotrado na pele e pêlo dos roedores).
Trata-se de uma antropozoonose, ou seja, participação humana no ciclo do parasito é apenas acidenta  (um gato com dermatofitose pode passar a doença para o ser humano).
Tanto gatos sem raça definida e com raça definida são igualmente acometidos igualmente. O Persa tem alta prevalência de dermatofitose.
As lesões geralmente são alopécias circunscritas (é a redução parcial ou total dos pêlos em determinada parte do corpo), eritema (coloração avermelhada da pele), escamas e crostas.
Mais de 90% dos gatos não coçam. Os seres humanos se contaminam com o contato direto com a pele e pêlo dos animais contaminados, como por exemplo: pegar o gato no colo, dormir com ele na cama etc.... As lesões no ser humano são bem sugestivas dermatofitose, além do prurido intenso.
Muitos gatos são considerados carreadores assintomáticos, ou seja, são capazes de transmitir a doença, porém não possuem sintomas clínicos dela, podendo chegar a 90% nos felinos. A presença dos animais assintomáticos contribui para a infecção de outros animais, de seres humanos e dificulta o controle ambiental.
 O diagnóstico é feito através da utilização da lâmpada de Wood e de exames complementares, como o tricograma, cultura fúngica e histopatológico.
O tratamento é feito com medicação via oral, shampoos e sprays apropriados.
 
Caso Clínico
 Na semana passada atendemos um gatinho adotado por uma proprietária, com aproximadamente dois meses. Na primeira consulta, observamos muita crosta em todo o corpo, pedimos para usar um shampoo. Após 7 dias, fizemos a revisão e observamos as lesões características da dermatofitose e fechamos o diagnóstico com a Lâmpada de Wood. Orientamos, com relação a contaminação dos seres humanos. Dois dias depois foi confirmado a dermatofitose na proprietária. Pedimos para procurar um dermatologista. Hoje tanto o gatinho, quanto a proprietária estão em tratamanto. Segue as fotos, tiradas na Doutor de Bicho Veterinária. A fluorescência é da Lâmpada de Wood.






Postar um comentário