terça-feira, 31 de julho de 2012

Classificação das Rações!!!!!!!!

Mesmo não havendo normas que determinem a classificação das rações, o mercado classifica as rações secas (grãos) em Super Premium, Premium e Standard. Existem ainda as de combate e manutenção, mas estás não vamos relatar.

Super Premium (Super Prêmio) – são rações balanceadas, produzidas com 100% de proteína animal, conservantes naturais, não contêm corantes e palatabilizantes (substâncias que deixam o alimento mais saboroso) e têm mais digestibilidade ( é o coeficiente de absorção de um nutriente, sendo em geral expresso como porcentagem do que foi retido em relação ao que foi ingerido, ou seja, quanto maior a digestibilidade, melhor é a ração) . Hoje as rações são divididas em seniores, adultos, filhotes e porte. Algumas empresas têm formulação especifica para raças e nível de atividade. São bem absorvidas e o volume de fezes produzido conseqüentemente é pequeno. São produtos com preços mais elevados.

Exemplo de Digestibilidade --> Uma ração Supre Premium tem mais de 95% de DIGESTIBILIDADE, ou seja, de cada 10 grãos que o cão ingere, 9 grãos são absorvidos e 1 é eliminado em forma de fezes. Na ração Super Premium,o cão come menos e defeca em menor quantidade.

Premium (Prêmio) – também possui um balanceamento ideal, porém utiliza uma maior quantidade de proteína vegetal, contém conservantes, corantes e palatabilizantes. A quantidade necessária para nutrir é maior e, por conseqüência, o tamanho e número das fezes também. Seu custo é menor que a Super Premium.

Standard – estas rações também são balanceadas, mas a qualidade da proteína usada é inferior. Possuem uma grande quantidade de palatabilizantes, corantes e conservantes. O animal tem que ingerir um volume grande para adquirir os nutrientes na quantidade necessária.
Existem as rações úmidas:
Rações úmidas – são as famosas latinhas e saches que nossos bichinhos adoram. Devem ser oferecidas de vez em quando, pois, por serem de consistência mole e bastante calórico, prejudicam a saúde bucal do animal, acelerando a formação de tártaro e cálculo dentário.

OUTRA CLASSIFICAÇÃO - MAIS TÉCNICA (Anfal Pet)

Existe a  Classificação da Anfal Pet (Associação Nacional dos Fabricantes de Alimentos para Animais de Estimação) classifica atualmente as rações em:

- Econômica (ou Básico)
Exigências para a Anfal Pet classificar uma ração como “Econômica”: análise química comprovando os níveis de ômega 3 e ômega 6 (se mencionados no pacote), comprovação da existência de nutrientes funcionais – como condroitina, por ex. (se mencionados no pacote) análises microbiológicas e Boas Práticas de Fabricação implementadas.

- Standard (ou Padrão)
Exigências para a Anfal Pet: além daquelas necessárias para as rações de nível “Econômico”, é necessária a comprovação dos teores de ácido linoléico.

- Premium (ou Prêmio)
Exigências para a Anfal Pet: além daquelas necessárias para as rações de nível “Standard”, comprovação da digestibilidade total (a “absorção” da ração pelo organismo do cão, por assim dizer) maior ou igual a 75%, digestibilidade da proteína bruta maior ou igual a 75%, digestibilidade do extrato etéreo (“gordura”, grosso modo) maior ou igual a 85%, digestibilidade dos extrativos não-nitrogenados (“carboidratos”) maior ou igual a 80%, valores de energia metabolizável obtidas in vivo e análise dos teores de vitaminas lipossolúveis (vitaminas A, D e E).

- Super Premium (ou Super Prêmio)
Exigências da Anfal: além daquelas necessárias para as rações de nível “Standard”, comprovação da digestibilidade total maior ou igual a 80%, digestibilidade da proteína bruta maior ou igual a 80%, digestibilidade do extrato etéreo maior ou igual a 90%, digestibilidade dos extrativos não-nitrogenados maior ou igual a 85%, valores de energia metabolizável obtidas in vivo e análise dos teores de vitaminas lipossolúveis (vitaminas A, D e E) e também as do complexo B, além da formulação (a lista de ingredientes) ser fixa, sem eventuais substitutos.





quarta-feira, 25 de julho de 2012

Novas Fotos







 A quanto tempo não faço isso. Vontade é o que não falta.

DIABETES EM CÃES!!!!!!!!!




Existem dois tipos de diabetes mellitus em cães: a dependente e a não
dependente de insulina, ou seja, diabetes insipitus e diabetes mellitus
A diabetes insipitus é uma desordem muito rara que resulta na incapacidade de regular o conteúdo de água corporal. 
A diabetes mellitus é uma doença relativamente comum e aparece mais freqüentemente em cães de 5 ou mais anos. Existe, também, uma forma congênita que ocorre em cães, sendo muito rara (Spinosa, 2001).
 Vamos tratar aqui da diabetes mellitus.
São conhecidos dois tipos desta diabetes mellitus: tipo I e tipo II.
A tipo I, ou diabetes mellitus dependente de insulina, com perda progressiva e eventualmente completa da secreção de insulina, pelo pâncreas. Portanto, o paciente com este tipo de diabetes é conhecido
como insulino dependente. A maior parte dos cães diabéticos apresenta-se com este tipo de diabetes (Nelson, 2001).
A tipo II, ou diabetes mellitus não dependente de insulina, caracteriza-se por uma resistência à insulina e/ou células β disfuncional. A secreção de insulina pode ser elevada, baixa ou normal, mas é insuficiente para superar a resistência à insulina nos tecidos. Esta, por sua vez, é de difícil diagnóstico em cães (Cunnighan, 2004).

O Diagnóstico

O diagnóstico de diabetes mellitus baseia-se em três critérios: 

1 - 0s quatro sinais clínicos clássicos, os 4P's : 
         Poliúria-->  aumento do volume urinário, o animal passa a urinar mais.
         Polidpsia --> sede excessiva, o animal passa a ingerir mais água.
         Polifagia --> aumneto do desejo de comer. Alguns animais começam a atacar até o lixo da casa. 
         Perda de Peso --> mesmo o animal se alimentando mais, a glicose não consegue penetrar na célula, então o organismo começa a metabolizar poteína e gordura. Na diabetes tipo II, está manifestação é mais lenta.

OBS: Se tivermos um cão que está emagrecendo, mas comendo muito, bebendo muita água e urinado muito, devemos em primeiro lugar pensar na diabetes.

2- O nível elevado de glicose na corrente sanguínea. O animal deve estar em jejum de 12h, para coleta de sangue. Os níveis normais de glicose em um cão normal  varia de 80-120mg/dl. Qualquer valor acima desse, devemos pensar em diabetes.

3 - A glucosúria (presença de glicose na urina) é um grande indicativo, mas não fecha o diagnóstico pois podemos ter glicosúria renal primária, um defeito que compromete a reabsorção de glicose.

SINAIS CLÍNICOS + HIPERGLICEMIA + GLICOSÚRIA = DIABETES

Outro Sinais da Diabetes

- Catarata Diabética  --> provocada por acúmulo de glicose e de outra substância chamada sorbitol no cristalino do globo ocular. Pode ser o primeiro sintoma que o proprietário percebe. O cristalino fica “azulado” e animal fica cego.

 - Infecção urinária --> a urina rica em glicose é substrato de crescimento bacteriano.

Diabetes e Cadela:
 Se o diagnóstico de diabetes ocorre numa cadela, esta deve ser castrada o mais rapidamente possível. Um dos hormonios femininas (a progesterona) interfere com o metabolismo da glicose, sendo difícil de controlar a diabetes em cadelas não castradas. Por vezes, em animais com diabetes há pouco tempo, a castração pode levar a uma recuperação completa. Após a cirurgia é necessário controlar bem os níveis de glicose no sangue pois, a terapia com insulina pode já não ser necessária.

Diabetes e Obesidade:
 A relação obesidade e diabetes é uma relação perigosa. O aumento da massa gordurosa, principalmente abdominal (visceral) está ligada à resistência à insulina, ou seja, à maior dificuldade da insulina colocar a glicose para dentro das células. O problema se agrava se o paciente tiver predisposição genética para desenvolver diabetes, pois neste caso o pâncreas é mais suscetível à deficiência na produção de insulina.
 Pouco se sabe sobre a patogênese da resistência à insulina causada pela obesidade em cães.


Conclusão:
Suspeitando de um cão diabético, devemos fazer um exame de sangue completo, um exame de glicose e um EAS.
Após fechar o diagnóstico, o tratamento é relativamente simples. O animal diabético, pode levar uma vida normal e uma sobrevida de qualidade. O tratamento se baseia na adiministração de insulina, exercício físicos e ração balanceada. No mercado temos vários tipos de insulina, devemos encontrar uma que apresente uma melhor resposta ao paciente.

ILUSTRAÇÃO

                                                             BEBENDO MUITA ÁGUA
COMENDO MUITO, ROUBANDO COMIDA
URINANDO MUITO
EMAGRECIMENTO




quarta-feira, 18 de julho de 2012

Hotel e Recreação da Clínica


Nova área de jardinagem.


Área de Recreação
Área de Recreação
Foto abaixo. Visão das baias do Hotel. Todos contam com almofada lavável, bolinhas, comedouros e bebedouros individuais. Achamos mais interessante os proprietários trazerem os partences do cãozinho, assim ele fica mais familiarizado.
VISÃO PANORÂMICA DO HOTEL.
Este é o Thor. Os seus proprietários trouxeram a sua própria cama, bebedouro e comedouro. Como Médico Veterinário, acho está opção melhor.





JARDINAGEM PARA PASSEIO ACOMPANHADO POR UMA RECREADORA

ESPAÇO LIVRE PARA BRINCADEIRAS.





O nosso novo sistema de HOTEL, funciona todos os dias. Agregado ao hotel, temos a área de recreação, onde seu melhor amigo(a) passará momentos do dia em liberdade (não irá ficar confinado nas baias durante o dia). Terá sempre o acompanhamento das recreadoras Márcia e Giselle.
Além da área de recreação temos uma ampla área livre para melhor atividade de seu cãozinho, além do jardim.
Se por algum motivo, ocorrer a necessidade de sair de casa e não tem como deixar seu "amigo(a), deixe-o em nossa CRECHE, temos meio período e período integral (podemos combinar).
Orientamos antes de deixar no hotel, atualizar todas as vacinas, usar remédio para prevenção de pulga e carrapato.

Fotos de Tratamento Periodontal - TÁRTARO.


Resolvemos tirar algumas fotos dos procedimentos odontológicos realizados na Doutor de Bicho Veterinária. Está é a Lara, uma Beagle de 8 anos. Já apresentava retração gengival, acúmulo de placa bacteriana e inflamação da gengiva.
Reparem na foto abaixo, que temos uma linha de sangue na gengiva, proveniente do processo inflamatório. Nesta foto já havia sido realizado o procedimento odontógico. Temos um vídeo no final, mostrando como fazemos a remoção do tártato.


Este caso abaixo é mais complicado, onde existe um acúmulo exagerado em todos os dentes de placa bacteriana, gengivite generalizada, junto com uma estomatite generalizada.
Reparem o processo avermelhado (inflamado) acima do dente. Este animal apresentava bastante dor e não estava mais alimentando.
Após o tratamento. Reparem o sangramento gengival. Nos dois casos foi instituido antibiótico terapia e enxaguatório bucal específico para cães.

Olhem bem; que irão reparar, dois buracos, um em cada dente. Trata-se de FURCA (A furca seria o ponto de união entre duas raízes, e quando há lesão quer dizer que o espaço dito biológico foi invadido (osso), o que propicia acesso de bactérias a esta região e uma infecção, ou uma resposta inflamatória). A Gengiva labial também bem avermelhada.
A Furca com maior aproximação.
video
 Acima o vídeo. Utilizamos o US odontológico e equipamento veterináio para realiza estes procedimentos.


quinta-feira, 12 de julho de 2012

Novas Fotos de Clientes e Amigo

 Esse é uma figura, todo pequeno. Uma gracinha.
 Só consegui tirar foto dele. Estava elétrico...não conseguimos um bom ângulo.
Belarmino e sua esposa Penha com o Jack.

Nesse mesmo dia, minha filha com o Jack. Porque será que ela gosta de animais?

O Caso da Gatinha Gabi - Dermatofitose

Olá,
Venho colocar a evolução do caso da gatinha Gabi (publicado em 13/06/2012), que estava com Fungo Dermatófito (caso publicado em nosso blog). Com todo o carinho de sua proprietária Silvia Pessoa, a Gabi recuperou por completo de sua doença dermatológica. Lembrando que a própria Silvia e o seu outro gato, o Troy, foram contaminados pela Gabi. Mas hoje, todos estão bem.











terça-feira, 3 de julho de 2012

Vantagens da Castração de Machos!!!!!!

Existem várias vantagens em se castrar um cão ou gato macho, tentaremos explicar as principais vantagens.
1)  Contribuiu para diminuir a agressividade para com outros machos e as brigas por fêmeas. Ou seja, dois machos que vivem em um mesmo ambiente e em constantes brigas, tendem a diminuir as mesmas ou parar por completo.
2) O ritual da demarcação de território com urina. Aquela coisa chata de urinar nos móveis da casa, na geladeira e em qualquer lugar inapropriado, cessa em 100% no cães castrados.
3)  Diminui a ansiedade e o hábito de fugir.
4)  Para por completo o ato de  montar noutros animais e pessoas ou até na mobília. Para com o ato de montar na perna das pessoas e fazer mímica sexual, também cessa em 100%.
5) Evita tumores testiculares, hérnias perianales, tumores de glândulas hepatóides, tumores de glândulas perianales, tumores e quistes prostáticos. Em muitas casos temos que fazer cirúrgias em cães machos idosos, devido a tumor prostático, onde o risco cirúrgico é bem maior.

Convém salientar que a esterilização não deixa o cão menos ou mais medroso, nem interfere no seu instinto de guarda. A personalidade do animal não muda. Diminui o risco de contraírem doenças venéreas transmitidas pelo ato sexual ou ainda doenças transmitidas por mordidas em eventuais brigas por acasalamento ou domínio de território. Diminui também o risco de atropelamento, por fuga.
Não, vamos privar o animal de ter vida sexual, pois os animais não vivem a sexualidade como os humanos. Para um animal o sexo é apenas o processo físico da reprodução. Como o comer e beber é a garantia da sua sobrevivência individual, o sexo é a garantia da sobrevivência da sua espécie.
Quando sugerimos a castração para um macho, o proprietário masculino tende a “proteger-se” como se fosse sugerida para ele mesmo. É uma reação normal e lógica, mas a decisão de esterilizar um animal é para o seu bem, quer do dono, quer do animal.
O animal castrado, alimentando de rações específicas e com atividades fisícas frequentes não engordará.Um animal que tem uma alimentação inadequada engordará operado ou não.
 Depois da castração só se modificam os comportamentos ligados aos hormônios, como a marcação do território com urina.
A questão de se manter ou não como cão de guarda, depende da herença genética, e não de fatores hormonais. Mas se ele já tem o hábito de cuidar da casa, manterá este instinto.




Corte de Rabo e Orelha em Cães, resolução do CRMV

                          CIRURGIAS ESTÉTICAS MUTILANTES EM PEQUENOS ANIMAIS

Art. 7° Ficam proibidas as cirurgias consideradas desnecessárias ou que possam impedir a capacidade de expressão do comportamento natural da espécie, sendo permitidas apenas as cirurgias que atendam as indicações clínicas.
§ 1° São considerados procedimentos proibidos na prática médico-veterinária: conchectomia (corte de orelha) e cordectomia (corte das cordas vogais) em cães e, onicectomia (corte das unhas) em felinos.
§ 2° A caudectomia é considerada um procedimento cirúrgico não recomendável na prática médico-veterinária.
Art. 8° Todos os procedimentos cirúrgicos devem ser realizados respeitando o previsto nos Artigos 2º e 3º desta Resolução.

Artigos 2º e 3º

 Art. 2° As cirurgias devem ser realizadas, preferencialmente, em locais fechados e de uso adequado para esta finalidade.
Art. 3º Todos os procedimentos anestésicos e/ou cirúrgicos devem ser realizados exclusivamente pelo médico-veterinário conforme previsto na Lei nº 5.517/68.

Comentário:
Eu Dr. Alexei, particularmente nunca gostei dessas cirúrgias, principalmente os cortes de orelha. Após a resolução do CFMV, abolimos de todas as formar este tipo de cirúrgia em nossa clínica e não a indicamos
. Mas ainda observamos Poodles com rabinho cortatos, infelizmente falta fiscalização dos órgãos competentes.